Secretária de Saúde de Santa Maria da Boa Vista Michelly Bezerra, faz balanço dos primeiros seis meses a frente da pasta

DSC04140

Em Santa Maria da Boa Vista(PE), após se passarem seis meses de gestão do prefeito Humberto Mendes(PTB) a secretária municipal de Saúde Michelly Bezerra fala como foi encontrado o sistema de  saúde no município e como está funcionando.

“A gente tem tido o tempo de conhecer a realidade do município de Santa Maria, e conseguimos avançar em algumas melhorias e alguns serviços que estavam fechados, e não estavam funcionando já a algum tempo, conseguimos ampliar alguns serviços, agora que já passou essa fase de turbulência, a gente conheceu o território, saber as necessidades da população, agora a gente tá se planejando pra poder manter o que a gente conseguiu avançar e, trabalhar dentro do orçamento”, diz a secretária.

De acordo com  Michelly Bezerra, quando se fala de saúde o limite não é o céu, e a gestão tem como  objetivo trabalhar respeitando o orçamento que  tem, não deixando de garantir o que a população precisa em termos de serviços.

Dificuldades encontradas

“A princípio as principais dificuldades que a gente encontrou foi alguns serviços em que a gente teve que levantar toda parte de dívida pra gente não perder, por exemplo Celpe, várias contas do ano de 2016 pendente, alguns serviços como de lixo hospitalar, alguns fornecedores importantes, como oxigênio, serviço que a gente precisou fazer o levantamento de dívida pra gente poder arcar porque a gente não poderia ficar sem esses serviços”, frisa Michelly.

De acordo com a secretária Michelly, a segunda dificuldade encontrada foi vários serviços que foram fechados de outubro pra cá, como bloco cirúrgico, consultórios odontológicos, a demissão de vários enfermeiros nas unidades de saúde da família, e consequentemente, várias pessoas deixaram de ser atendidas durante esse período.

Com isso, a atual gestão teve que retomar, os programas, os profissionais e os serviços que era para garantir a rotina que a população necessitava.

Sucateamento

“E muitas coisas e bens sucateados, principalmente os transportes, a gente tinha assim…até a aquisição da ambulância que a gente conseguiu agora, a gente passou por muito aperreio em relação a ambulância, aos carros que são oficiais da saúde, pela quantidade de investimento que a gente precisou fazer em manutenção, porque a gente encontrou a situação muito ruim, então a gente priorizou nesses primeiros seis meses esses serviços, retomar a base da saúde, pra gente pensar em ampliar”, concluiu a secretária Michelly Bezerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *