Prefeitura de Lagoa Grande recolhe materiais de ambulantes da Av Nilo Coelho, mas volta a palavra atrás

20180205_083858

20180205_083929

20180205_083855

Em Lagoa Grande (PE), o prefeito Vilmar Cappellaro(MDB) começou o primeiro dia da semana nada bem enfrentando protesto de barraqueiros ambulantes, que pela manhã  protestaram em frente a prefeitura municipal.

Os barraqueiros que fica na Avenida Nilo Coelho (as margens da BR) estão revoltados protestando contra uma ação da prefeitura que na noite do último sábado(03), segundo os barraqueiros, a prefeitura   recolheu algumas  barracas que vendem espetinho, milho e outros objetos de trabalho dos barraqueiros.

Hoje(05) pela manhã mais de 15 ambulantes estiveram na Secretaria de Infraestrutura e depois seguiram para a prefeitura com pneus  para queimar em frente a prefeitura, isso caso a prefeitura não resolvesse devolver os materiais.

Os ambulantes foram recebidos pelo prefeito na porta da prefeitura pelo prefeito e  logo após uma conversa, o prefeito voltou a palavra atrás e autorizou que os ambulantes voltasse a vender na avenida.

Um comentário em “Prefeitura de Lagoa Grande recolhe materiais de ambulantes da Av Nilo Coelho, mas volta a palavra atrás

  1. Mauricio, sua meteria não está relatando a verdade, aliás blog político e de oposição é conveniente e leniente. A realidade é que a secretaria de infraestrutura tem tentado em diversas vezes que os ambulantes apenas conservem limpo o local onde eles ganham o dinheiro honesto para porém alimentos em suas mesas, ocorre que isso não esta sendo praticado, então a secretaria tomou a medida de retirar as trais que os mesmos deixam nas calçadas e passeios públicos de acessibilidade e áreas de mobilidade! Portanto, você se aproveitando do meio mais fácil atira logo no prefeito, pois bem esse prefeito que você acusa pelo que não fez delibera que seus secretários tomem atitudes dentro da lei, e a lei está dentro do código de postura! A terra da a todos a oportunidade de se produzir o sustento de cada um, homens e animais, só que a ganância, conveniência e a leniência destrói essa paridade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *