Morre Dom Paulo Evaristo Arns, “o cardeal da esperança”

1481637238_864951_1481638139_noticia_normal_recorte1

Morreu nesta quarta-feira, vítima de uma broncopneumonia, o cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, uma das pessoas mais influentes da Igreja Católica e da sociedade brasileiras, conhecido pela contenda de uma vida inteira em defesa dos direitos humanos no país. Dom Evaristo, aos 95 anos completados em setembro, estava internado no Hospital Santa Catarina, em São Paulo, desde 28 de novembro, e hoje foi declarado pelos médicos que sofreu uma falência múltipla de órgãos.

Apesar de ter passado os últimos anos vivendo recluso em um convento em Taboão da Serra, sua morte impacta diferentes grupos sociais pelo seu papel decisivo na história da democracia brasileira. Dom Paulo, com 71 anos de sacerdócio, é uma figura que congrega pessoas muito além de crenças religiosas. Foi um dos principais nomes na luta contra a ditadura (1964-1985) e a favor do voto nas Diretas Já. Por conta disso – e por sua atuação incansável na defesa dos pobres – ficou conhecido como o “cardeal da esperança”.

Na mais recente homenagem à sua trajetória política, em seu 95 aniversário, foi descrito por Dom Angélico Sândalo Bernardino como “o rosto da periferia de São Paulo”. “Ele é ecumênico, coração aberto, anunciando a urgência de resistirmos contra toda mentira, contra toda impostura. Naquele tempo, contra a ditadura civil-militar. E essa resistência, a que ele nos convida, é permanente no Brasil atual”, disse o bispo da diocese de Blumenau.

Celebrada em 24 de outubro no Teatro da Pontifícia Universidade Católica (Tuca), às vésperas da morte do jornalista Vladimir Herzog na mão dos militares em 1975, a cerimônia reuniu religiosos, líderes militantes, intelectuais e jornalistas. Foi marcada, sobretudo, por relatos das ações de Arns contra a tortura aplicada pelos militares nos anos 60 e 70 e também por gritos de “fora, Temer”.

João Pedro Stédile, coordenador nacional do Movimento Sem Terra, afirmou que sem ele os movimentos sociais careceriam de guia. “A maioria dos movimentos que hoje existe, MST, MAB [Movimento dos Atingidos por Barragens], Movimento dos Pequenos Agricultores, Comissão Pastoral da Terra, Cimi [Conselho Indigenista Missionário], nascemos orientados por vossa sabedoria, que pregava: em tempos de ditadura, deus só ajuda quem se organiza. Então fomos nos organizar. Queremos agradecer de coração por tudo que o senhor fez nesses 95 anos, sobretudo porque o senhor ajudou a acabar com a ditadura militar no Brasil”, disse Stédile. Corintiano, o arcebispo também recebeu homenagens, na ocasião, do coletivo Democracia Corinthiana.

No Brasil, Dom Paulo Evaristo foi bispo e arcebispo de São Paulo entre os anos 60 e 70. Quando assumiu a Arquidiocese de São Paulo, a segunda maior comunidade católica do mundo, em 1970, uma de suas primeiras medidas foi vender o Palácio Pio XII, residência oficial do arcebispo, para financiar terrenos e construir casas na periferia. Em 1972, ele criou a Comissão Brasileira Justiça e Paz, que articulou denúncias contra abusos do regime militar.

Chegou a ser fichado no Departamento de Ordem Política e Social (Dops) em 1979. Em 1985, o cardeal criou a Pastoral da Infância com o apoio da irmã Zilda Arns, que morreu no Haiti, onde realizada trabalhos humanitários, vítima do forte terremoto que destruiu parte do país em 2010. Arns também foi o fundador, ao lado do pastor presbiteriano Jaime Wright, do projeto Brasil: Nunca Mais, que reuniu documentos oficiais sobre o uso da tortura no Brasil.

Sua história, contada em dois livros lançados pelo jornalista Ricardo de Carvalho,O Cardeal e o Repórter e O Cardeal da Resistência, chegará às telas do cinema com o filme Coragem – As muitas vidas de dom Paulo Evaristo Arns. Dirigido por Carvalho, o documentário – coproduzido pela Globo Filmes e o primeiro a ser feito sobre o arcebispo – retrata sua resistência ao regime militar e está prestes a ser concluído.

Ex-repórter da Folha de S.Paulo, Carvalho conheceu dom Paulo em 1976 por conta de sua intensa relação com a imprensa. Relata o diretor: “Ele foi, sem dúvida, a mais importante fonte de informações contra o regime militar. Como jornalista que é, dom Paulo não errava uma e tudo que dizia ou denunciava, vinha com provas, relatos… Foi assim quando o pastor Jaime Wright, ligadíssimo a dom Paulo, me passou, em 1978, a conta-gotas, a primeira lista de desaparecidos políticos checadas em diferentes fontes”.

Após delação da Odebrecht, Moreira Franco tem carta de demissão pronta

moreira-temer

BRASÍLIA — Um dos principais conselheiros do presidente Michel Temer, o secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimentos, Moreira Franco, tem pronta uma carta de demissão, como revelou o colunista Ricardo Noblat. Responsável pelo programa de concessões do governo federal, o ex-governador do Rio passou os últimos dias mais focado na preparação de sua defesa das acusações emergidas dos primeiros documentos da delação da Odebrecht.

Segundo pessoas próximas, Moreira tem se mostrado triste e abatido e decidiu escrever a carta para deixar o presidente à vontade e evitar maiores desgastes ao Planalto. Na proposta de acordo de delação premiada, o ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho, o acusou de ter recebido propina para beneficiar a empreiteira quando era ministro da Aviação Civil do governo da presidente Dilma Rousseff.

A proposta de delação de Cláudio Mello revela denúncias de pagamento de recursos de caixa dois para campanhas eleitorais de diversos políticos do PMDB e integrantes do primeiro escalão do governo federal, como o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, além do presidente do Senado, Renan Calheiros. O próprio presidente Michel Temer é citado. O ex-executivo da empreiteira disse que Temer procurou Marcelo Odebrecht com pedido de R$ 10 milhões. O dinheiro teria sido entregue em espécie no escritório do advogado José Yunes, amigo e assessor especial do presidente Temer, durante a campanha eleitoral de 2014.

Políticos de diferentes partidos, como PT e DEM, como o ex-governador da Bahia e ex-ministro de Lula e Dilma, Jaques Wagner, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, também são citados. A delação ainda depende de homologação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em nota, Moreira Franco disse estar comprometido com os compromissos do governo:

“Estou dedicado a colaborar no lançamento das medidas microeconômicas e no fortalecimento do programa de concessões. Não abandono lutas quando acredito nelas”, afirmou.

O Globo

PF indicia Sérgio Cabral na Lava Jato por quadrilha, corrupção e lavagem

cabral_rodrigo_felix_gazeta_do_povo-620x350

Segundo a Procuradoria da República, no Paraná, o ex-governador teria recebido pelo menos R$ 2,7 milhões em propinas da empreiteira Andrade Gutierrez, entre  2007 e 2011, referente as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobrás. O peemedebista, de acordo com os investigadores, pediu 1% de contrato da Andrade Gutierrez para obra de terraplanagem.

Também foram indiciados o ex-secretário de Governo Wilson Carlos, e Carlos Miranda, apontado como um dos operadores do esquema de propinas supostamente liderado por Cabral em seus dois mandatos (2007 – 2014), pelos mesmos crimes atribuídos ao peemedebista.

A Federal afirma, no despacho de indiciamento, que o pagamento foi operacionalizado pelo executivo Alberto Quintaes, da Andrade Gutierrez, com a participação de Carlos Miranda, ‘operador de Sérgio Cabral’.

Delatores da Lava Jato indicaram Wilson Carlos como ‘operador administrativo do ex-governador, sendo responsável pela organização da forma de pagamento e da cobrança das propinas ajustadas pelas empreiteiras com Sérgio Cabral’.

Sérgio Cabral e Wilson Carlos estão presos em Curitiba. Carlos Miranda está em custódia no Complexo de Bangu, no Rio.

Cabral também foi indiciado e denunciado na Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato, no Rio, que aponta mesada das empreiteiras Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia. Segundo a investigação, o peemedebista recebia R$ 850 mil por mês.

No Rio, Sérgio Cabral é investigado por corrupção na contratação de diversas obras conduzidas em seu governo, entre elas, a reforma do Maracanã para receber a Copa do Mundo de futebol de 2014, o PAC Favelas e o Arco Metropolitano, financiadas ou custeadas com recursos federais.

Estadão

Lindolfo, suspeito de participar de assassinato de duas jovens em Petrolina é solto

img-20161213-wa0081

Desde a noite de ontem (13), Lindolfo Nunes da Silva, 40 anos, conhecido como ‘Adolfinho’, foi liberdade por meio de alvará de soltura. Ele deixou a Penitenciária Dr. Edvaldo Gomes, em Petrolina, por volta das 21h. Lindolfo é acusado junto com Lucas Conceição Santos, 38 anos, de assassinar Taiane de Souza Rocha e Bruna de Souza Torres, ambas de 19 anos, no dia 5 de setembro no Distrito Industrial, em Petrolina.

O segundo acusado, Lucas Conceição Santos, segue preso por confessar o crime na época que foi preso.

Diplomação em João Alfredo será na próxima quinta(15) dia do aniversário da prefeita eleita Maria Sebastiana

maria-sebastiana-imagem-em-alta

A diplomação da prefeita eleita de João Alfredo, Maria Sebastiana e seu vice Zeca Falcão, será na próxima quinta-feira, 15, a partir das 14 horas, no auditório Maria Rodolfo Lopes, localizado na Escola Municipal Governador Miguel Arraes de Alencar.

A cerimônia de diplomação será presidida pelo juiz da 88ª zona eleitoral do município de João Alfredo, Dr. Hailton Gonçalves da Silva. Diplomação é o ato pelo qual a Justiça Eleitoral atesta que o candidato foi efetivamente eleito pelo povo e, por isso, está apto a tomar posse no cargo. Na ocasião, ocorre a entrega dos diplomas.

Nesta mesma data também haverá a diplomação dos treze vereadores eleitos para a Câmara Municipal da Cidade.

A representante do Partido Social Democrático, Maria Sebastiana, eleita com 53,73% dos votos da Cidade, tem mais motivos para comemorar, coincidentemente, no dia 15 de dezembro é a data de seu aniversário, havendo comemoração dupla na Cidade.

Para Maria, representar João Alfredo já é seu maior presente. “Fui escolhida pelo povo e isso me motiva a ser sempre melhor do que poderia ser”, destaca Maria Sebastiana e acrescenta que o povo alfredense pode esperar um mandato com muita integridade, ética e responsabilidade com os compromissos firmados.

Secretariado do prefeito de Lagoa Grande Vilmar Cappellaro(PMDB) deve ser anunciado somente dia 05 de janeiro

imagem-252

Enquanto prefeito eleitos dos municípios vizinhos já anunciam seu secretariado mesmo sem serem diplomados, em Lagoa Grande(PE) o prefeito eleito Vilmar Cappellaro do PMDB faz o contrário.

Segundo informações, Cappellaro somente irá anunciar seu secretariado no dia 05 de janeiro, isso quatro dias depois da sua posse, dos vereadores e do novo presidente da Casa Zeferino Nunes.

Outra curiosidade que chama atenção é que a decisão do prefeito eleito Vilmar Cappellaro em torno dos nomes dos que irão compor seu secretariado, somente será divulgada oficialmente quatro dias depois da posse e da eleição para a presidência da Casa Zeferino Nunes, onde terá dois vereadores da sua base na disputa pela presidência, Alvanir Gomes(PSD) e Josafá(PMDB).

dscn9650

Alvanir correndo atrás de voto entre as duas bancadas e Josafá correndo por fora conversando e tentando conquistar a oposição que dispõe de cinco votos que podem lhe fazerem chegar a presidência da Casa Zeferino Nunes.

E vale destacar que Josafá foi o primeiro vereador de mandato a declarar apoio a Vilmar e mudar do PTB para o PMDB.

Pela primeira vez na história política do município um secretariado não tomará posse no mesmo dia em que o prefeito, vice e os vereadores eleitos.

 

Filha do vereador Joaquim da Rocinha será diplomada nesta sexta(16) a mais jovem parlamentar eleita na história política de Lagoa Grande

imagem1

Na próxima sexta-feira(16) o vereador Joaquim da Rocinha(PV) assistirá do plenário da Casa Zeferino Nunes  um momento histórico na sua trajetória política, onde sua filha Iara Evangelista será diplomada vereadora eleita pelo PSB.

Joaquim que viveu esse momento de diplomação selando nas urnas duas grandes vitorias consecutivas de dois mandatos, agora passa o bastão a sua filha Iara, que irá substitui-lo nesta legislatura.

Certamente será um momento de grande emoção para o atual vereador que se despedirá da cadeira de vereador da Casa Zeferino Nunes no dia 31 de Dezembro.

Iara Evangelista é uma jovem de 21 anos e já vinha desde muito cedo acompanhando o trabalho do seu pai, o vereador Joaquim da Rocinha e, participando de ações políticas, adquirindo gosto e interesse pela política, com m sonho de um dia ser uma política, o que não demorou muito e, tai seu sonho realizado.

A jovem parlamentar tem a missão de levar o legado da maneira de fazer política de Joaquim e da sua maneira conquistar o eleitorado assim como conquistou seu pai, onde teve dois mandatos consecutivos e com grande aprovação do eleitorado, principalmente do interior.

E para isso ela também contará com o apoio de Joaquim da Rocinha, que a conduzirá como mestre onde ele realizará o papel de vereador voluntário sem mandato, mas representado pela sua filha Iara.

Joaquim em sua trajetória política de dois mandatos, teve vários momentos de destaques importantes em defesa da população que sempre se manteve firme e encorajado como representante do povo que o elegeu por dois mandatos.

Joaquim decidiu abrir mão da sua candidatura no pleito de Outubro passado, diante de estar filiado ao Partido Verde(PV) e o partido não dispor de condições em número de candidaturas para assegurar que os candidatos filiados  pudessem serem eleitos, incluindo o próprio Joaquim da Rocinha.

O PV tinha como candidato a prefeito, o empresário Sandro Patrício que concorreu a eleição e acabou não sendo eleito, assim como, nenhum candidato a vereador do referido partido.

 

Estado já deve R$ 1 bi a fornecedores em 2016, denuncia Oposição

silvio-costa-filho

O Governo do Estado está encerrando o ano de 2016 com cerca de R$ 1 bilhão em dívidas com fornecedores, assim como aconteceu em 2015, segundo revela estudo da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), discutido na tarde desta terça (13) no plenário da Casa. Os números, levantados no Portal da Transparência do Estado, apontam que até o dia 31 de outubro o Governo já contabilizava um saldo a pagar de R$ 959,3 milhões.

Com base no estudo, a Bancada de Oposição vai apresentar um pedido para que o Secretário da Fazenda, Marcelo Barros, compareça à Alepe para discutir a questão dos débitos com os fornecedores. Líder da Oposição, o deputado Silvio Costa Filho (PRB) destaca que esse é o segundo ano consecutivo que o governo Paulo Câmara deve fechar o ano com uma dívida grande com os fornecedores. “Ao final de 2015, o Estado inscreveu como restos a pagar um montante de R$ 1 bilhão, dos quais R$ 170,9 milhões ainda não foram pagos até agora. Isso por produtos e serviços prestados ainda no ano passado”, destaca o parlamentar.

Em aparte, a deputada Priscila Krause lembrou que no ano passado o Governo deixou mais de R$ 1 bilhão de restos a pagar apesar de receitas extraordinárias. “O que salvou o Estado, foi a venda da folha de pagamentos, no valor de R$ 740 milhões, que foram injetados no caixa. Este ano estamos contando com o dinheiro do Refis e do repatriamento. O Governo vem sempre recorrendo a receitas extras para fechar a conta, mas não apresenta uma alternativa de redução de despesas para equilibrar o caixa”, questionou.

Para a Oposição, o descompasso entre as receitas e despesas do Estado confirma a necessidade de uma reforma administrativa, com redução de Secretarias e de cargos comissionados. “O 13º salário só está pago graças aos recursos da repatriação. E mesmo assim, caminhamos novamente para fechar o ano com uma dívida de mais de R$ 1 bilhão, apesar do pacote de aumento de impostos aprovado em 2015, que deveria render um reforço de caixa de quase R$ 500 milhões.”, lembra Silvio.

Segundo o deputado, além de comprometer a prestação de serviços à população, que deveria ser prioridade do Governo, as dívidas do Estado comprometem o equilíbrio financeiro das empresas contratadas pelo Governo e aumenta o desemprego. “Governar é fazer escolhas. A Bancada de Oposição está à disposição para sentar à mesa e discutir a redução do tamanho do Estado e os problemas de Pernambuco, sobretudo nas áreas de educação, saúde e segurança pública, para que a conta do desequilíbrio financeiro de Pernambuco não continue sendo paga pela sociedade”, ressalta.

Legado de Arraes é evidenciado em solenidade no PSB de Pernambuco

bobl5241retratista-robertopereira-1

bobl5310retratista-robertopereira-1

Dando início às comemorações da semana que marca o Centenário do ex-governador Miguel Arraes de Alencar, o Partido Socialista Brasileiro em Pernambuco realizou, na tarde desta segunda-feira (12), uma solenidade para marcar a nova denominação da sede da legenda no Estado. O Diretório do PSB pernambucano passa a se chamar Sede Miguel Arraes. A homenagem contou com a presença de diversas lideranças do partido, a exemplo do governador Paulo Câmara, do prefeito do Recife, Geraldo Julio, do presidente estadual Sileno Guedes, além de vereadores e deputados.

Abrindo a solenidade, o presidente estadual Sileno Guedes destacou o significado de Arraes para o PSB e falou que a iniciativa do partido é uma homenagem ao legado que o ex-governador deixa para o PSB. “O PSB sentiu necessidade de reunir seus militantes na sede, onde, de forma singela, carinhosa e de reconhecimento, a gente dá a esta casa o nome de Miguel Arraes. Como prova de que ele se faz vivo entre nós, sua militância se encontra viva. As pessoas que tiveram o privilégio de viver com Miguel Arraes e os que chegam podem sentir que aqui se pratica o legado de Arraes”, discursou.

Vice-presidente nacional do PSB, o governador Paulo Câmara destacou a importância da liderança de Miguel Arraes e falou da responsabilidade de manter o legado do socialista. “Hoje o PSB faz uma pequena homenagem, mas uma justa e sincera homenagem. Uma homenagem que toca o coração de todos que fazem o PSB porque Dr. Arraes é uma referência que mudou a vida dos pernambucanos para melhor, que trabalhou e dedicou sua vida para os que mais precisam. Ele deixa um legado e história de muita responsabilidade, de conceitos necessários que precisam ser colocados em prática no dia a dia do nosso País”, declarou.

Também presente na solenidade, o prefeito Geraldo Julio, que integra a Executiva nacional do PSB como primeiro-secretário, destacou o trabalho de Arraes para a população mais carente. “A gente está vendo o Brasil passar por tantas dificuldades, em que o povo é que está perdendo. Dr. Arraes está guiando os olhos da política, do PSB, para os mais pobres, para o combate às desigualdades. Que a vida dele possa ser referência e possa inspirar os líderes hoje do País para que a gente possa voltar os olhos para as pessoas que mais pobres”, afirmou.

Falando em nome da família, Pedro Arraes, filho do ex-governador, agradeceu a homenagem, e disse que a conexão com as necessidades do povo é um dos principais legados do líder socialista. Bisneto de Arraes, o secretário de Organização do PSB de Pernambuco, João Campos, também testemunhou a dedicação de Arraes na política brasileira. “Ele era um homem que gostava mais de ouvir do que de falar, mas sempre que se posicionava era com muita firmeza e tinha coerência com o que defendia e praticava”, disse.

As comemorações pelo Centenário de Arraes continuam ao longo desta semana. Nesta terça-feira, o Congresso Nacional realiza sessão solene em homenagem ao ex-governador. Na quarta-feira, o PSB Nacional reúne o diretório para celebrar os 100 anos de Arraes. Também haverá comemorações no legislativo estadual, municipal, além de missas e exposições.

Fotos: Roberto Pereira/PSB

Assessoria de Imprensa do PSB

União publica decreto que libera negociação das dívidas de produtores

Brasília – O Diário Oficial da União publicou o Decreto  n.º 8.929, na sexta-feira (09), regulamentando o processo de liquidação ou renegociação das dívidas dos produtores rurais nas áreas de atuação da Sudene e Sudam. A norma regulamenta lei sancionada pelo presidente da República, Michel Temer, no final de setembro deste ano.

Com a publicação do Decreto, os produtores estão formalmente autorizados a liquidarem ou renegociarem suas dívidas junto ao Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e ao Banco da Amazônia (Basa), além de outros bancos oficiais federais.

A partir de agora, os produtores estão autorizados a procurarem agências do BNB e do Basa e solicitarem seus  extratos bancários e, a partir disso, iniciarem o processo de negociação.

A Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe) informa que os produtores pernambucanos terão prazo de um ano, até 29 de dezembro de 2017, para optarem por liquidar ou renegociar seus débitos.

Dados do BNB indicam que 770 mil produtores serão beneficiados, num total de 860 operações bancárias. Quase 95% do total são de mini e pequenos produtores que contrataram operações de crédito rural até 31 de dezembro de 2011.

Estão contemplados produtores abrangidos nas áreas de atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e os municípios do norte do Espírito Santo e de Minas Gerais. Foram contemplados, ainda, produtores do Vale do Jequitinhonha e do Vale do Mucuri.