“Não vai ser difícil ganhar as eleições de 2018”, diz Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou neste domingo, 19, que “não vai ser difícil” ganhar as eleições presidenciais de 2018, mas defendeu uma mudança de estratégia dos partidos de esquerda para barrar as propostas do governo Michel Temer no Congresso. Ele avaliou que a oposição está fragilizada e lamentou que não tenha conseguido barrar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e propostas que, na sua avaliação, representam um retrocesso com relação aos avanços das gestões petistas, como a reforma trabalhista.

“Éramos contra reforma trabalhista, e ela aconteceu, éramos contra a Previdência, e se não tomarmos cuidado, vai acontecer”, disse o petista, ao discursar no Congresso do PCdoB. Lula afirmou que o governo Michel Temer é “fraco” e, por isso, se submete “aos interesses do mercado”. “Nenhum presidente fraco é respeitado.” “Os congressistas que estão votando pelo desmonte não têm compromisso conosco. Nunca vi tanto deputado reacionário tanto troglodita, e se não tomarmos cuidado vai piorar na próxima eleição”, disse.

Ele declarou que é preciso evitar a aprovação da reforma da Previdência, que “está acontecendo concomitantemente com o desmonte da Petrobras”. “Não tenho mais idade de ficar criando movimento ‘fora Temer’ e ele estar dentro, de ficar gritando não vai ter golpe e ter golpe. Vamos ter que parar de gritar e evitar que isso aconteça mesmo. Isso não pode continuar acontecendo debaixo da nossa barba.” Segundo ele, estão querendo desmontar a Petrobras porque “eles não são políticos, são usurpadores.” E continuou: “Eles não têm compromisso com o povo brasileiro, querem fazer o desmonte, destruir o BNDES, a Eletrobras, a Caixa, desmontar a cidadania.”

No discurso, Lula disse que, se não fosse pela sua teimosia e a do PT, não teria chegado à Presidência da República. E que provou que era possível a esquerda transformar este País, citando melhorias em salário, educação e na própria inserção do Brasil no exterior. “Deixamos de falar ‘fino’ com os Estados Unidos.” “Tiramos o País do mapa da fome.” E lamentou que o sonho que a gestão petista sonhou “infelizmente está sendo aos poucos desmontado”. “Estava tudo preparado para o Brasil se tornar a 5ª economia do mundo.” (DP)

Temer marca jantar com parlamentares para discutir reforma da Previdência

Foto: Alan Santos/PR
Em meio ao troca-troca da reforma ministerial por votos para a aprovação da reforma da Previdência proposta pelo governo Michel Temer, a bancada mineira do PMDB tenta emplacar o deputado federal Mauro Lopes (PMDB) no ministério da Secretaria de Governo, em substituição ao deputado licenciado Antônio Imbassahy (PSDB-BA).
Desgastado na relação com a base de governo na Câmara dos Deputados, Temer decidiu que Imbassahy não ficará, podendo deslocá-lo para o Ministério dos Direitos Humanos, hipótese em que a tucana Luislinda Valois seria exonerada. O acerto com Imbassahy, porém, ainda não foi fechado. O ministro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes (PSDB), deve permanecer no cargo.
A possibilidade de Lopes ainda não foi definida. Ao mesmo tempo em que o presidente faria um gesto para Minas Gerais, – pela primeira vez na história da República não ocupa nenhum cargo no primeiro escalão do governo federal –, teria no governo um parlamentar que valoriza muito cargos executivos e não costuma pleitear mais poder.
“A bancada mineira não está reivindicando. Mas Michel Temer me consultou sobre o nome de Mauro Lopes. E considerei uma excelente opção”, afirmou ontem Fábio Ramalho (PMDB-MG), vice-presidente da Câmara dos Deputados e coordenador da bancada federal mineira.
Entre peemedebistas mineiros, contudo, não faltaram críticas e a avaliação de que Temer iria “esvaziar” as atribuições da poderosa pasta, dando mais poder para Moreira Franco ministro da Secretaria-Geral da Presidência e ao ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. Ministro da Aviação Civil de Dilma Rousseff por menos de um mês, Lopes assumiu o cargo sob protestos de seu partido e, depois, licenciou-se, prometendo à então presidente Dilma o voto contra o seu afastamento na Câmara dos Deputados. Mas três dias depois, a traiu, “agradecendo” o cargo e engrossando o coro em favor da abertura do impeachment.
Além de Mauro Lopes, outro nome cotado para assumir a Secretaria de Governo é o ex-deputado João Henrique Sousa (PMDB-PI). Desde que Temer assumiu o governo, Sousa preside o Conselho Nacional do SESI. No governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o piauiense foi ministro dos Transportes.
JANTAR
Pressionado pelo mercado financeiro a entregar pelo menos algum quinhão da anunciada reforma da Previdência e a apenas quatro semanas do fim do ano legislativo, Temer também enfrenta a pressão dos partidos de sua base aliada para promover a reforma, afastar o PSDB e redistribuir os cargos aos partidos “fieis”. Ao mesmo tempo, Temer recuou da decisão de uma reformulação ministerial ampla. Ontem, o Temer acertou com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e líderes partidários da base um jantar, provavelmente na quarta-feira, para apresentar a nova versão da Reforma da Previdência. Até lá, as mudanças devem estar definidas.
Entre as substituições pontuais no primeiro escalão, Temer escolheu o deputado Alexandre Baldy (sem partido-GO), para o Ministério de Cidades, – um dos mais cobiçados por seu generoso orçamento – em substiuição a Bruno Araújo (PSDB-PE), que entregou o cargo na semana passada. Baldy tem o apoio do presidente da Câmara. Filiado ao Podemos, Baldy decidiu sair do partido em agosto quando foi destituído da liderança da legenda na Câmara. Agora tende a se filiar ao PP, partido que integra o centrão e pleiteia mais espaço no governo em troca de votos para aprovar a reforma da Previdência.
Diário de PE.

Prefeito Miguel Coelho é destituído do Diretório do PSB de Petrolina

A Executiva Estadual do PSB decidiu retirar do comando do partido em Petrolina, no Sertão, o prefeito da cidade, Miguel Coelho, filho do senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB), que migrou para a oposição ao governador Paulo Câmara (PSB). No lugar de Miguel, o partido será presidido no maior município do Sertão pelo deputado federal Gonzaga Patriota e terá como vice o deputado estadual Lucas Ramos.

A dissolução da comissão provisória foi pedida por Lucas através de uma carta argumentando que o prefeito não representava mais o PSB. Lucas e Miguel disputaram a indicação para concorrer à prefeitura de Petrolina, mas o partido favoreceu os Coelho.

OPOSIÇÃO

Irmão de Miguel, o ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, deixou o PSB no mês passado por discordar da sigla no apoio ao governo Michel Temer (PMDB). FBC havia saído da agremiação em setembro e trabalha para que o PMDB tenha candidatura de oposição ao Palácio do Campo das Princesas. Prestes a embarcar em um voo, o prefeito Miguel Coelho afirmou ao JC, por telefone, que deve falar sobre o assunto nesta terça-feira (14).

JC

‘As costuras’ de Alexandre Arraes pelo Sertão de Pernambuco

Principal articulador da Deputada Estadual Roberta Arraes (PSB), o seu esposo, o ex-prefeito de Araripina Alexandre Arraes (PSB) vem costurando diversas alianças políticas da deputada no Sertão de Pernambuco.

Na última quinta-feira (09), a deputada, o ex-prefeito Alexandre Arraes, o ex-Secretário de Agricultura de Lagoa Grande (PE), José Oliveira estiveram em Santa Maria da Boa Vista no Sertão pernambucano, ao lado dos vereador Anderson Harlem (PDT), Carlos Augusto (PSC) e do vereador Ismael Lira da cidade vizinha de Orocó,

O vereador Harlem  aproveitou a vista da deputada e solicitou do governador estadual melhorias para a cidade de Santa Maria da Boa Vista.

Em Lagoa Grande (PE), a deputada já conta com diversos apoios a exemplo da presidente da câmara Iara Evangelista (PSB) e do ex vereador Joaquim da Rocinha(PV) e ainda estar buscando o apoio do vereador Vavá(PSB).

A deputada amplia sua base com o apoio com os vereador Anderson Harlem e Carlos Augusto e aumentar seu leque de aliança no Sertão, tudo arquitetado pelo ex prefeito de Araripina Alexandre Arraes.

“O parlamentar que representar o povo e tiver juízo não votará a favor da Reforma da Previdência”, dispara Gonzaga Patriota

gonzaga-patriota-luis-macedo-camara-dos-deputados

O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB-PE) criticou duramente, em entrevista à Globo News exibida nesta sexta-feira (clique para ver) (10), a nova minireforma da Previdência proposta pelo Governo Temer, contendo 50% do texto original. Segundo o parlamentar, não houve diálogo com os legisladores ou com a sociedade civil.

“Para fazer esta reforma, o Governo Federal teria que ter conversado com o Parlamento e o Parlamento, com o povo. Nada disso foi feito. A proposta apresentada, a princípio, não tem como passar. Essa maneira como quer agora, de última hora, em final de ano, ou em final de governo para o ano, também é uma coisa ruim, porque não é estudada. Do jeito que está, é para recuperar o que foi desviado da Previdência. Foram bilhões desviados para outras funções, como a aposentadoria dos homens e mulheres do campo, que era para ser do Tesouro Nacional”, disse o socialista.

Para Gonzaga, quem votar a favor da proposta do governo não estará se posicionando em prol do Brasil. “Eu acho que quem for parlamentar, que representar o povo e tiver juízo, não vota essa proposta como estava e nem como ele [Temer] pretende fazer”, disse Gonzaga Patriota.

Na convenção do PSDB, Raquel Lyra destaca que a política deve ser feita com as pessoas

Líder da maior cidade do interior do estado, a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, esteve, na tarde deste domingo (05), na Convenção Estadual do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). O encontro, realizado na sede do Partido, no Recife, elegeu o ministro das Cidades, Bruno Araújo, para presidente estadual, na chapa única “Pernambuco mais forte”.

No ato, Raquel parabenizou o novo presidente estadual e deixou uma mensagem logo após o encontro. “Somos nós políticos que temos a responsabilidade de trabalhar para as pessoas e junto a elas, fazendo a diferença na vida de todos os pernambucanos. Não podemos ficar nas velhas práticas e estancados num sistema antigo, que se afastou das pessoas e dos problemas. Somos nós os encarregados de voltar a pensar nas pessoas, trabalhando por nossas crianças, estudantes, mães, pais, idosos”, disse a prefeita, que é presidente do diretório municipal e recebeu o título de presidente de honra do PSDB Mulher.

Dos membros do PSDB de Caruaru, também estavam presentes o ex-governador João Lyra Neto, que foi eleito 1º vice-presidente estadual; o vice-prefeito Rodrigo Pinheiro; o secretário municipal de Governo, Rubens Júnior e o secretário da Fazenda, Diogo Bezerra.

(edmarlyra.com)

Aos gritos de ‘Fora Temer’, Daniel Coelho abandona convenção do PSDB

Deputado federal Daniel Coelho

O deputado federal Daniel Coelho (PSDB) abandonou neste domingo a convenção da Executiva Estadual do PSDB. Ele acusou os caciques tucanos de perseguição por conta de sua posição nacional, contrária à participação do partido no governo Temer.

Em seu discurso, durante o evento, o parlamentar surpreendeu os caciques tucanos, ao acusar os correligionários de excluir seu nome na formação da chapa única e de perseguição por sua postura anti-Governo Temer. Após as acusações, o legislador pediu a exclusão do seu nome da Executiva estadual e deixou o palanque, aos gritos de “Fora Temer” da militância presente.

“A convenção está ocorrendo e até o momento ainda não foi divulgada a composição da Executiva. Estão me excluindo da chapa e não estão respeitando a minha proporcionalidade, eu que fui o deputado federal mais votado de Pernambuco, com 138 mil votos”, afirmou Daniel.

Segundo Daniel Coelho, a perseguição ocorreu por conta de sua posição nacional, contrária à aliança do PSDB com o governo Temer. Quatro integrantes do partido ocupam cargos de ministério na gestão federal.

“Votei pela abertura de inquérito contra Temer. Dentro do PSDB, foram 23 foram a favor e 20 foi contra. Foi um erro. O PSDB devia ter se colocado ao lado do povo brasileiro. O que ocorre hoje é um veto às minhas posições nacionais, ao voto que dei contra Temer. Me posicionarei sempre no que for a favor da população. Não me peçam para fazer acordo. Lamento até este momento não estar divulgada a chapa, lamento”, criticou.

Durante o discurso, Daniel foi interrompido várias vezes aos brados de “Fora, Temer!”, por parte da militância. Ao final, Daniel pediu a exclusão de seu nome da Executiva estadual do partido. “Me excluam da executiva estadual. Militarei dentro do partido, continuarei na Executiva nacional, mas não quero participar de um acordo desta maneira como está colocada”.

Elias Gomes
Na ocasião, o partido também lançou a pré-candidatura do ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes, ao governo de Pernambuco. “O PSDB vai liderar um debate e discussões de ideias. A nossa pré-candidatura é um instrumento do partido para debatermos as questões programáticas como também envolver o conjunto das forças sociais nesta discussão”, defendeu Gomes.

Blog da Folha.

PSDB está unido contra a reeleição de Paulo Câmara

Ministro das Cidades, Bruno Araújo

O PSDB segue dividido em relação ao governo Temer. Enquanto uma ala do partido defende o apoio ao presidente pelo fato de deter quatro ministérios, dentre eles o das Cidades, chefiado pelo pernambucano Bruno Araújo, outra defende o rompimento. Dessa corrente fazem parte os deputados Daniel Coelho e Betinho Gomes. Todos convergem, no entanto, para uma posição comum em relação ao governo de Paulo Câmara: oposição. Daí a escolha quase consensual do ministro para assumir a presidência do partido em Pernambuco após a convenção do próximo domingo. Ele tornou-se um vigoroso opositor do atual governo, após seu partido ter sido “expulso” da Frente Popular pelo próprio governador, por recusar-se a apoiar a reeleição do prefeito Geraldo Júlio em 2016. Sob a batuta dele, portanto, o PSDB estará na oposição nas eleições do próximo ano, seja com candidato próprio a governador (hipótese pouco provável), seja em aliança com o PTB do senador Armando Monteiro. O ministro já deixou claro que a volta do PSDB à Frente Popular “está fora de cogitação” e isso serve de alerta a prefeitos do partido que continuam rezando pela cartilha do Palácio do Campo das Princesas.

Sem agenda no dia de finados

O governador Paulo Câmara não tem compromissos na agenda, nesta quinta-feira. Mas isso não significa que não possa dar um pulo até o cemitério de Santo Amaro para visitar o túmulo de Miguel Arraes e Eduardo Campos, que são seus inspiradores na arte de governar “em favor dos que mais precisam”.

Fechamento > A política do Banco do Brasil é não reabrir agências que tenham sido vítimas de arrombamento. Pernambuco será fortemente prejudicado por essa política, pois tem cerca de 70 agências que já foram atacadas por bandidos. No país todo, há 330 agências do BB fechadas por terem sido vítimas de explosões.

Plantão > 
Por ordem do desembargador Francisco Tenório, que estava no plantão do TJ no último sábado, o ex-prefeito de Buenos Aires, Gislan Alencar (PSDB), já deixou o Cotel onde estava preso. O habeas corpus foi impetrado pelo advogado Márcio Alves. Alencar é acusado de desvio de recursos da merenda escolar. Mas seu advogado garante que “é tudo mentira”.

Gastos > Pernambuco foi o 4º Estado do Nordeste que menos investiu em segurança em 2016: 8,8% de sua receita. Alagoas investiu 12,2%, Paraíba 11,8%, Sergipe 11,4%, Bahia 10,5%, Rio Grande do Norte 10,4%, Maranhão 8,7%, Ceará 8,6% e Piauí 8,2%.

Parceria > Hélio dos Terrenos (PTB), prefeito de Belo Jardim, celebrou convênio com o Hospital (privado) Santa Fé para realização de cirurgias porque o Hospital (público) Júlio Alves de Lira não atende à demanda do município. A oferta de cirurgias será ampliada de 50 para 120/mês.

Promessas > Paulo Câmara, em sua última passagem por Caruaru, fez quatro promessas à população: iluminar o trecho da BR-104 que corta a cidade (que está às escuras), concluir o Hospital da Mulher e o novo Batalhão da PM, e construir o Centro de Oncologia do Hospital Mestre Vitalino. A prefeita Raquel Lyra (PSDB), adversária do governador, anotou tudo.

folhape.com.br

Prefeitura de Lagoa Grande decreta ponto facultativo na próxima sexta (03)

portal-de-lagoa-grande1-1-1024x576
GABINETE DO PREFEITO
DECRETO 049/2017 – PONTO FACULTATIVO

“Declara ponto facultativo na data e horário que menciona, e dá outras providências”.

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE LAGOA GRANDE, Estado de Pernambuco, no uso de suas atribuições legais;

DECRETA:

Art. 1° – Fica declarado ponto facultativo no dia 03 de novembro de 2017 (sexta-feira), nas repartições públicas municipais.

Parágrafo Único. Em relação ao ponto facultativo, excetuam-se do disposto no caput deste artigo, os serviços essenciais, como coleta de lixo, limpeza pública, serviços de saúde e outros que não admitem paralisação.

Art. 2° – Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 3º – Revogam-se as todas as disposições em contrário.

GABINETE DO PREFEITO DO MUNICÍPIO DE LAGOA GRANDE, ESTADO DE PERNAMBUCO, EM 31 DE OUTUBRO DE 2017.

VILMAR CAPELLARO

Prefeito Municipal

Vereadores de Flores solicitam apoio de Armando a projetos contra a Seca

AMN_8042
Seis vereadores e lideranças políticas do município de Flores, no Sertão do Estado, reuniram-se com o senador Armando Monteiro (PTB-PE), nesta segunda-feira (30), e pediram apoio para ações de combate à seca e também para revitalização do Rio Pajeú.
Estiveram com Armando os vereadores Onofre de Souza (PR), Nezinho de Fátima (PR), Patrícia de Fátima (PR), Zé do Fosco (PR), Adeilton Patriota (PT) e Flávia Santana (PDT), além das lideranças Ivanildo do Fosco e Gilmar Miranda. O deputado estadual Augusto César (PTB) intermediou o encontro entre o senador e o grupo político.
Na reunião, os vereadores relataram a Armando a situação dramática que a seca, uma das mais duradouras dos últimos tempos, está impondo à região. O grupo político também reivindicou ao senador ajuda junto aos órgãos competentes por projetos que minimizem os efeitos da estiagem prolongada, além de perfuração de poços artesianos na região.
Os vereadores também trataram com o senador alternativas para revitalizar o Rio Pajeú, que vem sofrendo com a estiagem prologada e o despejo da rede coletora de esgoto.
Foto: Leo Caldas/Divulgação